Fisioterapia Cardiorrespiratória

em Setembro/2016

A fisioterapia respiratória atua no atendimento aos pacientes com disfunções respiratórias e tem como objetivo a melhora do transporte de oxigênio, contribuindo para prevenir, reverter e minimizar as disfunções a esse nível, promovendo a máxima funcionalidade e qualidade de vida aos pacientes.

Para atingir os seus objetivos, inicialmente é realizada uma avaliação criteriosa e um plano individual de tratamento. O fisioterapeuta respiratório dispõe de vários recursos no tratamento dos pacientes e para isto utiliza técnicas manuais e/ou instrumentais, posicionamentos, exercícios físicos, orientação e educação aos pacientes. As sessões sempre são realizadas de forma individual e monitoradas como oximetria, por exemplo.

Dentro das doenças mais comuns abordadas pela fisioterapia respiratória estão: asma, bronquite, bronquiolite, pneumonia, enfisema pulmonar, fibrose cística, bronquiectasia, pré e pós-operatórios, entre outras.

Na fisioterapia cardiovascular a nível ambulatorial são elaborados programas individuais de recondicionamento físico para que o paciente alcance seus objetivos de maneira segura, aonde são aplicados exercícios que tem como objetivo melhorar a capacidade de mobilidade e a condição física, social e mental dos pacientes. Dentro dos exercícios, são realizados: alongamento, fortalecimento, equilíbrio, coordenação e aeróbios (esteira ergométrica, bicicleta ergométrica, elíptico e/ou cama elástica) de forma monitorada, como a Sat O2, frequência cardíaca, pressão arterial e escala de Borg. A sessão é individual.  O fisioterapeuta também orienta o paciente e seus familiares em relação à doença, fatores de risco, estresse, fumo, inatividade física, etc., pois o sucesso do tratamento depende da mudança nos hábitos de vida e maior autonomia alcançada pelos pacientes para realizar suas atividades físicas e da vida diária.

Dentro das patologias mais atendidas num programa de reabilitação cardíaca estão: insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, doenças coronarianas e valvares, cardiopatias congênitas e doenças das artérias.