Fisioterapia Neurológica Adulto

em Setembro/2016

Os distúrbios neurológicos podem causar problemas temporários ou permanentes, que prejudicam o indivíduo em suas funções diárias e profissionais tornando-os, muitas vezes, dependentes de outras pessoas, de forma parcial ou total.

A reversão deste quadro, é possível, e a assistência fisioterapêutica a pacientes neurológicos exerce um papel fundamental na reabilitação, adaptação e interação dos mesmos à sua condição de saúde. Dentre as doenças mais conhecidas e que necessitam da intervenção da fisioterapia estão a Esclerose Múltipla, o Acidente Vascular Cerebral ou AVC, Paralisia Facial, a Doença de Parkinson, o Mal de Alzheimer, o Traumatismo Crânio Encefálico decorrente de acidentes e traumas em geral, Cefaleias de ordem tensional / hormonal, Reabilitação Labiríntica…

O tratamento é globalizado e tem como objetivos principais:

  • Prevenir deformidades, orientar a família e o paciente;
  • Normalizar o tônus postural;
  • Melhorar habilidades cognitivas e de memória;
  • Restauração de funções como a coordenação motora, equilíbrio e força muscular global;
  • Diminuir padrões patológicos;
  • Prevenir instalação de doenças pulmonares ou qualquer outra intercorrência;
  • Manter ou aumentar a amplitude de movimento;
  • Reduzir a espasticidade;
  • Estimular as atividades de vida diária;
  • Otimizar a qualidade de vida do paciente.

A principal técnica utilizada para o tratamento neurológico dentro da fisioterapia é a cinesioterapia, onde é realizado o tratamento através do movimento. O objetivo desta técnica é de corrigir a ineficiência de músculos ou grupos musculares e reconquistar a amplitude normal do movimento

O tempo de resposta ao tratamento depende de inúmeros fatores, como disciplina, grau de lesão neurológica e frequência dos atendimentos. Exercícios específicos e regulares são de fundamental importância para manter o paciente forte, flexível e funcional.